Seguidores

Quem sou eu?

Na verdade, não sei muito bem quem sou.

Sei que sou o que sinto, do tamanho do que sinto.

Sinto-me viver vidas alheias.

Sinto as dores de quem nem está sentindo, mas eu sinto.

Sou o correr de uma lágrima, antes mesmo de chorar.

Sou um aglomerado de emoções.

Sou lamentos dos meus sofrimentos.

Sou pensamentos e pensamentos.

Sou reflexo das minhas atitudes.

Sou momento.

Sou o esquecer e o lembrar.

Sou a indagação da vida, sou ferida.

Sou o defender, o acusar.

Sou o conhecer do eu diferente.

Sou valente.

Eu sou transformação.

Sou a pessoa mais solitária do mundo,

Mas que nunca fica sozinha.

Sou a pessoa mais forte do mundo.

Mas que está sempre com medo.

Sou o exaltar das minhas realizações.

Sou mãe, sou filha, sou avó.

Sou o encontro de mim, comigo mesmo.

Sou o que sou, me orgulho muito de tudo que sou.

Enide Santos

Pernas ofegantes?

312802_155973031165196_297605316_n

Faça-te dono,

Sirva-se de meu ardor.

Não haverá dano,

basta devorar com amor.

 

Venha, traga-me este corpo,

que tanto me excita.

Ah, até perco o pudor!

Só em pensar na tua... Barriga.

 

Escorre de mim

Tanto e todo meu desejo.

Vem amor...

Reproduzir os meus beijos.

 

Pernas ofegantes?

Não, talvez não seja assim!

Devem ser os beijos,

que abriram-se pra ti!

 

Enide Santos 21/05/14

Só sonhando

10256963_455438077893185_2999902908170483678_n

Só mais um sonho

Um sonho delirante

É um mundo diferente,

no mundo que estou

 

Vejo tudo que quero de perto

Tem cheiro, tem sexo.

Solta gemidos de amor.

Tem pele, tem calor.

 

Busca minha boca,

me induz a flutuar.

E dá-me de presente,

sua sede de amar.

 

Ah, Meu sonho!

como é difícil acordar.

Fico aqui neste abandono,

Almejando te sonhar.

 

Enide Santos 20/04/14

Viver para esquecer

10172712_446054775498182_4896741420583314470_n

A primeira coisa que tenho a esquecer,

É está de vida,

De ter vida com você.

 

Outra coisa que também tenho pra esquecer,

Nesta coisa de vida, de você ser minha vida,

E sem você não poder viver.

 

Muita coisas terei a esquecer,

Esquecer que na vida que levo,

Levo a morte da vida que gostaria de ter.

 

A vida que em minha vida nasceu

Hoje não é mais minha vida,

Por isso em mim a vida morreu.

 

Enide Santos 19/05/14

Humanamente ridícula


396588_284657974971197_431356852_n

Beijar o vento,

Jogar ao ar pensamento.


 

Sorrir de uma doce lembrança,

Enquanto que no rosto, a lágrima descansa.


 

Correr para os braços da solidão.

Para não dividir uma triste recordação.


 

Olhos parado vendo outro lugar,

Desejando  neste tocar.


 

Suspirar… suspirar apaixonado,

Procurando o perfume do amado.


 

Planejar e replanejar

Exatamente tudo que tem pra falar


 

O lugar mais próximo de você que posso estar,

É aqui...

Dentro de mim.


 

Enide Santos 16/05/14

Fósseis de sonhos

1902844_273911319431428_775337666_n

O eco que ouço da minha dor,

(re) bate nas paredes deste infindo vazio,

E por vezes deixa-me insana.

 

Prostro-me imóvel e ciente de;

Não poder tocar,

Não poder realizar,

E nem ao menos sonhar.

 

São fósseis dos grandes sonhos,

Caminhos do qual,

(in) voluntariamente desviei-me.

 

Posso sentir-me desaparecendo aos poucos.

Presa em cada devaneio desfeito,

Sequelas adornam minha alma.

 

E tento regurgitar-me de mim.

Neste instante, nada, nada sou.

Apenas um corpo, procurando por amor.

 

Enide Santos 11/05/14

Baila meu corpo

395863_196794080416424_472285669_n

Bailar meu corpo,

amparado por tuas mãos.

Soltando soluços,

de pura satisfação

 

Move meu corpo,

impregnado de excitação.

Lançando odores,

de silenciosa ebulição.

 

Suga meu corpo,

deixa fluir,

goles saborosos

tome de mim.

 

Enide Santos 09/05/14

És tudo pra mim

1509938_460647570735603_1157427501470700965_n

Quando a dor está muito grande,

eu busco das lembranças,

o prazer de estar contigo.

 

É um estar quase sem estar.

Porque mal posso te tocar.

És um sonho, só posso te sonhar.

 

Eu preciso de você

pelo resto de minha vida

eu preciso mesmo de você.

 

Não sei o que faço,

se acordar e não te ter, em mim.

És meu primeiro pensamento.

 

És a razão de o meu despertar.

É o tudo que tens pra mim,

então, é o tudo pra mim.

 

Enide Santos 09/05/14

Relatos do fundo do poço

FundodododoPocogaDs


O fundo do buraco,

não é o fim de tudo.

Visto por outro ângulo,

percebido de outra forma.


 

Há paredes escorregadias,

Transmitem toda tristeza,

da perda dos dias.


É tão profundo o fundo.

 

Há olhares apagados.

Vidas sem (re) ação.


Braços que se movem sem motivos.

E do fundo, de onde se pode ouvir,

Os risos de quem longe está dali.


 

Difícil subir...

Áspera e dura escalada

Limos de indecência.

Lodos de demência.


 

Escombros caem sobre meus ombros

Cicatrizes nas paredes lamacentas.

Ai então, se percebe,

quanto “se” tem aqui.


 

A lonjura do fim é ficar no fim

ou batalhar para ir até o fim

de chegar ao começo.


 

Enide Santos 05/05/14

A mente mente

1904268_436428629794130_578641714_n

Acabo de pegar uma porção de tempo.

Não muito longe, também não muito perto.

Não muito quente, nem muito frio.

Só uma porção do agora,

Neste instante nesta hora.

 

Fui lá fora...

E tudo estava parado.

Só o tempo quem levava o vento.

E a noite dormia, sob o sereno, gemia.

Mas tudo estava parado.

Sei, que só porque eu observava.

 

Braços estendidos no tempo, para o tempo.

Então eu o toquei...

Acariciei, moldei-o em meu pensamento.

Então me ri de mim.

Vendo-me com tanto poder,

De até o tempo poder deter.

 

Enide Santos 03/05/14

Divino delírio

1237003_600765339976333_317214103_n

E as tuas mãos,

Traga-as aqui?

Deixe por um instante

Meu corpo te iludir.

 

E teus lábios,

Umedeça-os em mim?

Deixe que meus delírios

Abuse de ti.

 

E os teus gemidos,

Deixe-me ouvir?

Encoste-se mais um pouco

Dentro de mim.

 

Enide Santos 01/05/14

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...